A dois passos da América...

terça-feira, 31 de maio de 2011
E nesta quarta-feira começa a decisão da Copa do Brasil. Na primeira metade do jogão de 180 minutos, Vasco e Coritiba disputam um título inédito para as equipes. Além do título está em jogo uma vaga na Copa Libertadores 2012.
E o mais interessante é a trajetória das duas equipes durante o ano. Podemos dizer que caminham em direções opostas. O Vasco da Gama começou da pior forma possível. Com resultados terríveis no início do campeonato carioca, o Gigante da Colina ficou de fora das semifinais da Taça Guanabara, entrando numa crise que culminou com a saída do técnico PC Gusmão e o afastamento de Felipe e Carlos Alberto da equipe. Enquanto isso, no Paraná, o Coxa se tornava a sensação da temporada, emplacando uma seqüência fenomenal de vitórias, coroada com uma goleada acachapante de 6 a 0 em cima do Palmeiras na Copa do Brasil.
Mas então o tempo passou e as coisas começaram a mudar. Com a chegada de Ricardo Gomes, a reintegração e melhora do desempenho de Felipe e a chegada de reforços como Diego Souza e Alecsandro, além da ascenção  de Bernardo, o Vasco melhorou de forma incrível, chegando à final da Taça Rio e se tornando o melhor time carioca do segundo turno. Essa melhora se tornou sólida com o bom desempenho no mata-mata da Copa do Brasil e com a liderança nas primeiras rodadas do Brasileirão (mesmo tendo jogadores poupados). Já o Coxa, depois do início de ano meteórico, vive um momento de calmaria. A derrota para o próprio Palmeiras quebrou a seqüência vitoriosa, e a classificação contra o Ceará foi difícil (0 a 0 e 1 a 0). E o começo ruim no Brasileirão começou a levantar dúvidas quanto ao verdadeiro potencial do time paranaense.
E aí? Será que o Vasco vai mostrar que a fase ruim ficou pra trás definitivamente? Ou será que o Coxa vai provar que não é só um sucesso passageiro? Nesta quarta começa o embate. O primeiro passo para carimbar o passaporte para desbravar o Novo Continente...

O futebol agradece...

sábado, 28 de maio de 2011

E chega ao fim mais uma UEFA Champions League, coroando o Barcelona como campeão. Nada mais justo que o maior time da atualidade conquiste o título mais importante do mundo.
Fica difícil falar do Barcelona sem cair no lugar comum, em clichês etc etc etc. Mas é a pura realidade, o Barcelona mostrou um futebol espetacular, numa verdadeira aula de futebol, fazer o quê? Tem mais é que tirar o chapéu mesmo.
Muitos acham que há um excesso de badalação em torno da equipe catalã, que supervalorizam o time. Mas não há time que se sustente apenas com mídia e oba oba. A badalação em torno do Barcelona é justificada e confirmada pelos resultados e pelas atuações espetaculares. Que tipo de adjetivo a imprensa pode utilizar pra descrever Messi e cia. que não seja "incrível" "estupendo" etc.? 
E essa final serviu pra tirar qualquer dúvida sobre a qualidade do Barça. Não era um jogo qualquer, era uma final, e não era contra um time qualquer, era contra o Manchester United, um time fortíssimo, equilibrado, com um ótimo elenco, além de contar com Sir Alex Ferguson, um dos técnicos mais vencedores dos últimos tempos. E os minutos iniciais da partida mostraram isso. Os Red Devils conseguiram, mesmo que por alguns instantes, mostrar porque tinham méritos pra chegar à final. 
Mas isso durou apenas alguns minutos, logo a turma de Guardiola dominou a partida de uma forma que os ingleses não conseguiram fazer muita coisa. Com uma jogada genial, Xavi deixa Pedro na cara do gol para abrir o placar. Mesmo conseguindo um empate com Rooney, o Manchester não parecia ter forças para reverter a situação. Messi, numa atuação digna de melhor do mundo e Villa liquidaram a partida.
Enfim, para os admiradores do futebol foi um dia histórico e maravilhoso, onde pudemos ver uma atuação de gala de um time que vai entrar pra história, sem sombra de dúvidas.
E como se não bastasse sermos brindados com um espetáculo dentro de campo, o Barcelona ainda nos brindou com um momento único: depois de passar por um dama pessoal há poucas semanas, coube a Abidal a honra de levantar a taça da Champions. Fechando com chave de ouro um espetáculo onde o principal vencedor foi o futebol...

Está chegando a hora...

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Sábado está chegando e com ele um dos momentos mais esperados pelos amantes do futebol mundo afora. É a grande final da competição interclubes mais importante do mundo, a UEFA Champions League. Nesse ano a disputa acontece num dos templos da bola, o estádio de Wembley, em Londres.
E pra quem acha pouco todos esses detalhes ainda temos os finalistas, "apenas" Barcelona e Manchester United. Pois é, uma final pra ninguém botar defeito...
E quem leva? Perguntinha fácil né? Numa final de jogo único envolvendo times desse porte, tudo pode acontecer.
De um lado, temos o time que vem encantando o mundo com seu futebol vistoso e espetacular, a ponto de ser considerado um dos melhores times de todos os tempos. É, o Barcelona é O time do momento. mas também não é pra menos, o time conta com nomes como Xavi e Iniesta, além do jovem e bom técnico Pep Guardiola. E como se não bastasse, tem nada mais nada menos que o melhor do mundo, Leonal Messi. Acho que dá pra entender toda a badalação em cima do time catalão.
Bem, mas não é qualquer um que está do outro lado. Se o Barça chega com pinta de favorito, o Manchester United está longe de ser um adversário fácil. Se no início da temporada os Red Devils não encantaram com seu futebol, na reta final da Premiere League e da Champions os comandados de Sir Alex Ferguson mostraram um futebol objetivo e eficiente que lhe renderam o décimo nono título inglês, ultrapassando o rival Liverpool. Com nomes como Chicharito, Giggs e Rooney voltando à sua velha forma a equipe inglesa tem mostrado equilíbrio emocional em momentos decisivos, além de uma regularidade e disciplina tática que podem  fazer a diferença, principalmente numa partida única como essa.
Resumindo, esse jogo tem todos os ingerdientes de um grande espetáculo do futebol mundial, um prato cheio para nós, amantes de futebol. Não vejo a hora de chegar logo sábado...

Para alimentar o vício...

domingo, 22 de maio de 2011
E o fim de semana vai embora e com ele uma mistura de sentimentos de minha parte. Animada com o começo do Brasileirão e triste com o fim dos campeonatos europeus, principalmente a Premiere League.

O Brasileirão está esquentando as turbinas e ainda tem muita coisa pra acontecer até dezembro. Mas foi bom ver o meu Mengão começando bem, com uma boa vitória e com Ronaldinho Gaúcho mostrando porque tantos times se degladiaram por ele. Acho que já engoli, e, se ele continuar assim vai dar pra digerir numa boa. Ainda é muito cedo, e o Avaí poupou jogadores por causa da Copa do Brasil, mas tivemos adversários mais fracos no estadual e o time e R10 não jogaram bem, então acho que dá pra ficar feliz sim. Os vascaínos também podem comemorar, a vitória de virada sobre o Ceará mostra que a fase tenebrosa do Vasco ficou pra trás. Já botafoguenses e tricolores não tiveram boas estréias. Os Fluminense perdeu pro São Paulo por 2 a 0 e o Botafogo pro Palmeiras por 1 a 0. Dos outros times paulistas, vitória de virada do Corinthians sobre o Grêmio(2 a1)  e empate de 1 a 1 entre Santos e Inter. Em minas o Galo bateu o Furacão por 3 a 0 e o Cruzeiro perdeu de 1 a 0 pro Figueirense. A sensação Coritiba estreiou com derrota de 1 a 0 para o Atlético Goianiense.

Pois é, se aqui no Brasil eu tenho motivos pra ficar contente, afinal os trabalhos estão apenas começando, também estou triste pelo fim da temporada 2010/2011 da Premiere League (já disse que sou viciada em campeonato inglês?). A última rodada da primeira divisão da terra da rainha teve um tom melancólico e dramático. Se na parte de cima da tabela as coisas estavam mais ou menos definidas, lá embaixo a coisa foi emocionante. Jogando em Old Trafford, o Blackpool quase conseguiu uma vitória sobre o já campeão Manchester United, mas os Devils viraram o jogo, fizeram 4 a 2 e rebaixaram o time, que se junta a Birminghan e West Ham. E o Arsenal (que coisa hein?) de candidato ao título vai ter que disputar a vaga da Champions nos play-offs, perdendo a vaga direta pro Manchester City. Chelsea leva o vice e a outra vaga. E depois de deixar seus torcedores (eu !!!!!) ensandecidos pelos pontos perdidos e falhas toscas, o Tottenham conseguiu garantir a participação na próxima Europa League e vai se juntar a Stoke City (vice campeão da FA Cup) e Birminghan (campeão da Carling Cup).

Muito se fala em unificar os calendários nacional e europeu. Eu até entendo a importância disso, mas para nós que curtimos tanto futebol esse formato até que é interessante porque a gente sempre vai ter o que assistir, pois quando termina lá fora, começa aqui e vice-versa. Já pensou se acabasse tudo ao mesmo tempo? O que seria da gente? Acho que sofreria de crises terríveis de abstinência futebolística.
Bom, de qualquer forma ainda resta a chave de ouro da temporada européia, a final da Champions dia 28. E depois, poderemos nos deliciar com as emoções do nosso campeonato. E quando ele acabar, no fim do ano, a temporada européia já estará rolando pra nos satisfazer. Ô vicio!




Tudo como sempre...

quinta-feira, 19 de maio de 2011
Venho acompanhando essa história há tempos e sempre fico pensando em mil e uma coisas pra dizer,altos textos pra postar, mas o sentimento é tão forte que me faltam palavras. Mas acho que tem uma palavrinha que pode descrever como eu fico com tudo isso: frustrada.
Do que eu estou falando? Do dramalhão mexicano da venda dos direitos de transmissão dos jogos do campeonato brasileiro. Desde o início do ano vem se desenhando uma queda de braço entre o Clube dos 13, os times e as emissoras de TV para a venda dos direitos de transmissão dos jogos nos próximos três anos.
No tempo que acompanho futebol, nunca vi esse assunto render tanto. A gente está tão acostumado com a Rede Globo transmitir os jogos, que nunca parou pra pensar em como acontecem os contratos, as disputas etc. Até porque a emissora sempre ganhou todas. Mas esse ano...
Ventos de mudança pareciam soprar no horizonte do futebol brasileiro. Pela primeira vez surgiu um concorrente que parecia ter poder de fogo pra brigar pelos direitos de transmissão. Com uma boa proposta, a Rede Record entrou com tudo na disputa. Será que o poder iria finalmente mudar de mãos? 
Foi aí que o caldo entornou... com manobras de bastidores dignas de filmes de Coppola, o que antes parecia ser uma disputa comercial normal se transformou numa palhaçada com direito a reconhecimento de títulos e Taça de Bolinhas pra fazer média com time, acordos fora das regras entre outras coisas. Resultado: Tudo na mesma e o Clube dos  13, que já existia praticamente só por existir, esfacelado. No melhor estilo "farinha pouca meu pirão primeiro" os times saíram numa sangria desatada de acertos individuais, que as proposta das outras emissoras se esvaziaram e tudo terminou em pizza. O último herói da resistência, o Clube Atlético Mineiro, não resistiu à pressão e também acertou com a Globo, apesar do incômodo olfativo de seu presidente. E o Clube dos 13, que finalmente poderia assumir o papel de atalaia da independência do futebol no Brasil, saiu com um papel menor do que já tinha...
Não tenho nada contra a Rede Globo e nem questiono a qualidade técnica das transmissões. O que me deixa frustrada é perceber que os times não têm idéia de seu poder. Como preferem manter o status quo e se submeter a ter que arcar com as responsabilidades de uma escolha inovadora. Mesmo que os riscos valessem a pena.Os times não precisam da Rede Globo, é ela que precisa dos times. Ou vocês acham que essa operação "rolo compressor" foi com qual intenção?
Mas, de qualquer forma, quando a bola rolar sábado e nos próximos 4 (ou 40 ou 400...) anos, talvez a  esmagadora maioria dos torcedores não façam idéia de que o futebol brasileiro, que é um dos maiores do mundo, perdeu uma chance incrível de ser maior ainda.

Próxima parada, Brasileirão!

domingo, 15 de maio de 2011

E lá se vai  o domingo, e, com ele, os últimos (ou quase isso) suspiros dos estaduais. Com algumas exceções, os estados vão conhecendo seus campeões. Santos, Internacional, Cruzeiro, Santa Cruz, Bahia (Feira de Santana) entre outros, se juntam à Flamengo, Coritiba e outros que já haviam conquistado seus títulos por antecipação. Resta agora arrumar a casa, avaliar a situação e começar a pensar no Brasileirão, que é logo ali, no próximo dia 21. Pois é, mal vai dar tempo pra pensar.
E o que podemos esperar para os próximos (e longos) meses de uma competição que é considerada uma das mais disputadas do mundo? Quais times vão chegar chegando? Quais estão de penetra na festa?
Definitivamente essa é uma pergunta muito difícil, principalmente depois da manada de zebras que foi solta no meio da semana passada e passeou pelos jogos da Libertadores e da Copa do Brasil.
É claro que uma derrota num jogo de mata-mata não pode colocar em xeque um trabalho que vem sendo realizado há meses, mas a degola geral da Libertadores e as quedas de Flamengo, Palmeiras e São Paulo na Copa do Brasil, causou, no mínimo, um questionamento sobre o quanto esses times estão preparados. O Cruzeiro, por exemplo, era considerado um dos melhores times do primeiro semestre, e pra muitos (oi!) um dos favoritos ao título Sul Americano. Outro exemplo foi o "Bonde Sem Freio" do  Flamengo, que foi campeão estadual invicto sem convencer e caiu diante da "Carroça Desembestada" do  Ceará.
Da mesma forma,temos times como o Coritiba, que vem fazendo uma campanha assombrosa, mas ainda vem sendo olhado com desconfiança. Pois esse talvez vai ser o teste definitivo do Coxa.
Enfim, a partir do momento que a bola rolar sábado, vai ser dada a partida para que essas questões comecem a ser desvendadas e que outras surjam no decorrer da competição. A viajem vai ser longa...E aí? Preparado?

Afinal, o que é ser grande?

sexta-feira, 13 de maio de 2011
Acabaram as quartas de final da Copa do Brasil. E quem avança para as semifinais são : Coritiba, Vasco, Ceará e Avaí. Dos grandes que participaram da disputa só sobrou o Vasco da Gama.
Mas, e os outros? Não são times grandes porquê? Porque não pertencem ao mundo Rio-SP-Minas- RS? Porque não aparecem na televisão? Porque não tem grandes craques e grandes estrelas? Afinal, o que é ser grande? E por que quando um time "pequeno" ganha de um time "grande" é um Deus nos acuda? Chovem manifestações de vergonha, como se uma derrota, às vezes justíssima, equivalesse à perda da honra?
Sei lá, acho que os times "grandes" encaram a Copa do Brasil de uma forma estranha, tipo assim "É um torneio onde os times pequenos têm a oportunidade de se mostrar para o Brasil, onde o resto do país vai conhecer regiões e times nunca vistos etc. etc. etc." Eles devem achar que estão fazendo caridade jogando com times menos expressivos. Coitados, talvez seja uma oportunidade única de viajarem pra capital, ou conhecer os craques de perto (o que é verdade em muitos casos). 
Mas por trás de todo esse oba oba, há um código oculto uma espécie de lei: Tudo é festa desde  que vocês não se atrevam a jogar bem, e nunca, sob hipótese alguma podem ganhar da gente e muito menos tomar a nossa vaga, afinal de contas nós somos os "grandes" e temos uma reputação a zelar...
Mas não é de hoje que essa lei vem sendo burlada (Santo André, ah, santo André...). E quando isso acontece dá-lhe declarações de orgulho ferido, chororô contra arbitragem e o escambau.
Só porque um time não figura no cenário nacional não significa que ele seja ruim, que não tenha uma torcida apaixonada e fiel, e que não tenha potencial pra vencer. São grandes em seus estados, em suas regiões, grandes para a torcida por menor que seja.
E a Copa do Brasil tá aí pra esfregar na nossa cara de tempos em tempos que futebol é jogado, e que ninguém entra em campo com a vitória garantida.
E que, grande mesmo é o futebol.

E pararam o bonde...

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Fim de jogo, Flamengo fora da copa do Brasil. O Bonde Sem Freio parou diante da Carroça Nordestina,que conseguiu a vaga mesmo sem ter jogado tão bem quanto no Rio. Acabou o oba-oba do Estadual, a realidade chega finalmente.
E sabe o que é mais irônico? O Mengão se desclassifica justamente numa das melhores partidas da temporada, onde mostrou uma vontade e criando oportunidades com Ronaldinho Gaúcho participando de lances importantes do jogo.
Não quero nem saber de arbitragem (sinceramente já estou de saco cheio de ter que falar de erros em todo jogo, de todo campeonato em todo país...), prefiro falar do jogo.
O Flamengo perdeu a vaga no jogo do Engenhão, onde jogou aquele futebol burocrático visto ao longo de todo o campeonato carioca, mas que as vitórias e o título minimizaram. Já o jogo no Ceará foi eletrizante, torci como não fazia há tempos até porque acreditava que o mengão estava merecendo passar. Mas como o dever de casa não foi feito direito, o esforço foi em vão...
E agora? Agora é pensar no Brasileirão e tentar montar um time competitivo, sem oba-oba, sem bonde, trem avião ou o que seja. Mas com garra, vontade e raça, que é uma marca registrada do Flamengo. Isso apareceu no jogo de hoje, mas infelizmente foi tarde demais. Espero que tenham aprendido a lição.


Tudo certo no velho continente

domingo, 8 de maio de 2011
Pois é, com essa rodada do fim de semana, podemos dizer que as coisas já estão praticamente definidas nos principais campeonatos europeus. Alguns já tiveram seu campeão definido, outros não, mas mesmo aqueles onde o título ainda está em disputa, a chance de uma virada é quase nula. Então, vamos aos certos e aos prováveis campeões?
  • Campeonato Alemão - Com duas rodadas de antecipação, o  Borussia Dortmund conquistou seu sétimo título após nove anos de jejum. A equipe do brasileiro Dedê e do jovem técnico Jürgen Klopp conquistou a Bundesliga no último dia 30, ganhando de 2 a 0 do Nuremberg. Os 72 pontos atingidos com a vitória deixaram o time com 8 pontos de vantagem sobre o Bayer Leverkusen.
  • Campeonato Italiano -  Bastou um 0 a 0 com a Roma para que o Milan levasse o scudetto neste sábado. Depois que o caldo da Inter, que tentava ultrapassar seu rival entornou  de vez, ficou fácil para o time de Pato e Robinho se segurarem na primeira colocação do Calcio e não sair mais de lá.
  • Campeonato Espanhol - Bom, ainda não temos um campeão, mas a última rodada já mostra que o título está muito bem encaminhado, ficando nas mãos do Barcelona (dãããããã...). Acho que La Liga deve ser o campeonato menos emocionante de todos, com todo mundo pensando se algum time consegue superar os catalães. E mais uma vez, apesar do investimento monstro e de um técnico ora genial, ora genioso, não vai ser dessa vez que os merengues de Madrid conseguirão bater seu maior rival.
  • Campeonato Inglês - E finalmente chego ao meu campeonato europeu predileto (o toque do meu celular é  Fire do Kasabian, que é a música de abertura dos jogos da Premiere League, he he he). E depois dos jogos deste fim de semana, tudo leva a crer que o título vai para o Manchester United. Depois que o Arsenal deixou escapar pontos valiosíssimos, cabia ao Chelsea a missão de tirar o título das mãos dos Red Devils. E hoje era o dia D, afinal de contas ia ser o confronto direto entre os dois. E como deu Manchester, vai ser muito difícil os Blues conseguirem outra oportunidade de ganharem o título.

Com isso, vão chegando ao fim as temporadas dos principais campeonatos europeus. Mas ainda temos grandes decisões pela frente como as finais da Europa League e Champions League. Mas isso já e outra história...


As dores e os dissabores do novo continente

quarta-feira, 4 de maio de 2011

É, a América nunca foi fácil. Os grandes conquistadores espanhóis sabem disso como ninguém. 
E mesmo hoje em dia, o "Novo Continente" permanece incompreendido pelo resto do mundo.
Mas não vai ser dessa vez que vamos conquistar a América, pelo menos não no futebol. Numa noite surreal para o futebol brasileiro tivemos quatro, isso mesmo, quatro times eliminados da competição mais importante do continente, o sonho de consumo de dez entre dez times: A Copa Libertadores da América.
O que dizer desse fiasco? Definitivamente ainda vai demorar um pouco pra digerir um acontecimento como esse.
Libertadores é mesmo diferente, a atmosfera é mais aguerrida, e, muitas vezes a garra e a vontade de vencer tem um peso tão grande ou até mesmo maior que a qualidade técnica dos times. A própria classificação heróica do Fluminense foi uma prova disso. A camisa e a tradição pesam muito também.
Mas Libertadores não é só isso, é uma competição duríssima e que exige preparo e planejamento, que não tem jogo fácil nem jogo ganho.
De todas as eliminações da noite, com certeza a do Cruzeiro foi a mais espantosa. Isso porque o time mineiro fez a melhor campanha da primeira fase e aplicou várias goleadas nos estaduais. Eu mesma achava que o time um dos favoritos ao título.O Inter também decepcionou e junto com o Grêmio, frustrou as expectativas de uma séries de Grenais na competição. O Fluminense até que conseguiu segurar o resultado até o segundo tempo, mas sucumbiu ao time do Libertad.
Enfim, só restou o Santos, que passou o maior sufoco e quase fica de fora também, só se salvando pela atuação do goleiro. Nos resta a torcida para que o agora único representante brasileiro possa chegar mais longe.
Essa foi uma noite tenebrosa para o futebol brasileiro, e uma mostra das surpresas que a América nos reserva...