Cultivando os sonhos.

terça-feira, 12 de abril de 2011
E a novela da vez é a situação de Paulo Henrique Ganso.  Nos últimos dias, a pergunta que não quer calar é: pra onde vai Ganso? Europa? Corinthians?
Bom, do jeito que as coisas andam, o próximo time de Ganso é o que menos importa, pois o que realmente está dando o que falar é a forma com que as negociações estão sendo feitas. Não é a primeira e nem será a última vez em que vemos um jogador forçando  a barra pra sair, mas esse disse me disse, e as informações desencontrdas acabam gerando reações negativas e mal estar.
Mas então, até que ponto um clube tem o direito de menter um jogador? E até onde um jogador deve bater pé para sair?
Eu acho que o Ganso tem todo o direito de querer jogar no exterior, afinal ele é um ótimo jogador e tem muito potencial para figurar entre grandes estrelas no cenário do futebol. Mas será mesmo necessário todo esse burburinho? Com sua competência, é só uma questão de tempo para ele se transferir para um grande clube. Mas se sair dessa forma, vai acabar levndo junto com seu futebol, uma marca que pode ser prejudicial. Se ele for para o Timão então...
O sonho de jogar na Europa é quase um mantra entre os jogadores que surgem, mas paciência e prudência são virtudes necessárias. Assim, esse sonho pode virar realidade da melhor forma possível, sem que seja preciso acordar antes da hora.

1 comentários:

  1. Rafael disse...:

    Se o Ganso for pra Europa,será uma burrice e tanto! Tanto é que o Neymar teve proposta para ir para o Chelsea e não quis. Acabou fazendo o certo, sabe porque? Com o futebol que ele joga, ganhando o tanto que ele ganha, titular, a três anos da Copa do Mundo, sendo a política dos clubes brasileiros bem mais frouxa do que os times da Europa, e ele por cima da carne seca por aqui?! Se tivesse ido pra Europa, certamente ganharia um salário maior, mas conviveria com uma política bem mais rígida, não teria potencial pra chegar a ser titular absoluto, ficaria "apagado", do ponto de vista do destaque, e sumiria, praticamente não sendo visto, e pouco lembrado. Apesar de a carreira de jogador de futebol ser curta, esse é o ledo engano de muitos jogadores que se aventuram, por exemplo, para a região do Oriente Médio: jogar por dinheiro. Tanto é que raramente lembra-se de um jogador brasileiro que joga por lá ou conhece um time de lá. Exemplo clássico: Émerson, o Sheik, atualmente no Fluminense. Alguém conhecia ou sabia quem era ele, antes de vir jogar no Flamengo? Confesso que, sinceramente, eu não!

Postar um comentário